Home / Noticia / A covardia que envergonhou uma classe.

A covardia que envergonhou uma classe.

Veiculam nas redes sociais vídeos que evidenciaram a retirada de uma advogada ALGEMADA da sala de audiências no Município de Duque de Caxias, Estado do Rio de Janeiro, por exigir o cumprimento de suas prerrogativas estabelecidas no Estatuto da Advocacia, Lei Federal 8.906/94.

A atitude de uma juíza leiga, diga-se de passagem, envergonhou e envergonha a JUSTIÇA, e macula de morte a profissão do ADVOGADO.

O despreparo, a arrogância e a prepotência manifestaram-se nesta despreparada juíza leiga, que, de forma irresponsável, autorizou a utilização da força bruta para algemar e humilhar a advogada Dra. Valéria Santos no seu exercício profissional da ADVOCACIA.

A juíza leiga não atingiu somente aquela profissional, mas TODOS OS PROFISSIONAIS QUE MILITAM NO PODER JUDICIÁRIO. 

O regime de exceção feriu de morte a DEMOCRACIA a liberdade de expressão e a liberdade profissional.

Eu, como advogado militante há quase 10 (dez) anos no Estado da Bahia, sobretudo no âmbito dos Juizados Especiais, estou hipotecando minha solidariedade à colega humilhada e que teve o seu exercício profissional cerceado por uma juíza leiga, que prefiro acreditar não conhecer as prerrogativas que o Estatuto da Advocacia nos confere.

O meu repúdio não é expresso apenas à juíza leiga, MAS TAMBÉM AOS MEUS COLEGAS, ADVOGADOS E ADVOGADAS, QUE PRESENCIARAM A INFELIZ CENA E FORAM INCAPAZES DE LEVANTAR-SE E FAZER VALER AS PRERROGATIVAS QUE NOS SÃO CONFERIDAS POR LEI.

Senti a covardia e o medo daqueles que militam no Direito e estavam presentes, assistindo silentes e inertes, ao triste vexame pela qual passava a colega Valéria Santos.

Como podemos exigir respeito pela profissão que escolhemos se nós, militantes do direito, não nos damos o respeito? Se não nos impomos frente a arbitrariedades e ilegalidade, sobretudo quando nos afrontam frontalmente como no caso de Dra. Valeria?

Ontem foi a colega Valéria Santos que teve a coragem de se insurgir à forma autoritária e desrespeitosa da juíza leiga, mas que com altivez e serenidade não se calou diante da infame desprezível da conduta praticada pela mesma.

Amanhã pode ser um de nós e se não lutarmos pelos nossos direitos de pleitear e defender as prerrogativas que nos são conferidas, estaremos renunciando as disposições constantes no artigo 133 da Carta Magna, que temos certeza que a juíza leiga não conhece ou se fez de desentendida para atingir a toda uma classe, e não apenas a Dra. Valéria Santos, como vemos abaixo:

Art. 133. O advogado é indispensável à administração da justiça, sendo inviolável por seus atos e manifestações no exercício da profissão, nos limites da lei.

NOSSO REPÚDIO VAI À JUÍZA LEIGA E AOS ADVOGADOS E ADVOGADAS QUE COVARDEMENTE SILENCIARAM DIANTE DE TAMANHO IMPROPÉRIO.

COMO EXIGIR RESPEITO SE NÓS ADVOGADOS E ADVOGADAS NÃO NOS RESPEITAMOS E SOMOS OMISSOS QUANDO ALGUÉM DA NOSSA CLASSE É DESRESPEITADO?

#JUNTOSSOMOSMAISFORTES
#VQV

About Redação

Check Also

Google é processado por monitorar usuários de celular ilegalmente

Ação na Justiça alega que rastreamento é feito independentemente de configuração de privacidade O Google …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *